Sala de aula invertida: Uma possibilidade de aplicação na prática

Olá!

Hoje iremos apresentar mais uma possibilidade de aplicação na prática docente, lembro que nosso objetivo é compartilhar experiências que deram certo e não soluções para todos cenários e/ou  problemas.

Muitos já ouviram falar ou chegaram a ter um contato bem superficial com o Google Sala de Aula, mas aqui iremos apresentar um pouquinho a mais sobre essa PODEROSA E GRATUITA ferramente que o Google desenvolveu.

O Google Sala de aula ou Google Classroom é um serviço da Web gratuito para escolas, organizações sem fins lucrativos e qualquer pessoa com uma Conta do Google pessoal. Com o Google Sala de aula, os alunos e professores se conectam de maneira fácil e intuitiva, dentro e fora das escolas/faculdades.

Alguns benefícios da ferramenta:

Configuração muito fácil: os professores podem configurar turmas, convidar alunos e professores auxiliares. No mural da turma, eles compartilham informações, como tarefas, aviso, perguntas, etc.

Ganho de tempo e papel: os professores podem criar turmas, distribuir tarefas, se comunicar e manter a organização em um único lugar de forma ágil e simplificada.

Muito mais organização: os alunos podem ver as tarefas “Pendentes”, no mural da turma ou na agenda da turma. Todos os materiais didáticos são automaticamente colocados em pastas do Google Drive, criadas exclusivamente para cada turma.

Comunicação e feedback aprimorados: os professores podem criar tarefas, enviar avisos e iniciar instantaneamente debates com a turma. Os alunos podem compartilhar recursos uns com os outros e interagir no mural da turma ou por e-mail. Os professores também podem ver rapidamente quem concluiu ou não um trabalho, dar feedback direto e em tempo real e atribuir notas. Tudo isso como se estivessem dentro de uma rede social, mas com recursos extras que o professor tem aliado a sua prática docente.

Funciona com aplicativos que você usa: o Google Sala de aula funciona com o Documentos Google, Google Agenda, Gmail, Google Drive e Formulários Google, tudo integrado e acessível em qualquer lugar com internet.

Acessível e seguro: o Google Sala de aula é gratuito. O Google Sala de aula não exibe anúncios, nunca usa seu conteúdo ou os dados dos alunos para fins publicitários.

 

 

 

Fonte: Adaptado ajuda Google.

 

Uma pequena introdução em vídeo do Google Classroom.

 

Sugestões para leitura sobre o tema!!

Quer saber como aplicar a sala de aula invertida com seus alunos?

 

Que tal aprender muito mais sobre esta poderosa ferramenta? Você, docente antenado, precisa saber muito para ser diferente dos demais e para isso apenas conhecer por conhecer não  fará você diferente. Busque conhecimento onde realmente se ensina, com qualidade e suporte necessário.

 

Clique na imagem abaixo e descubra como é fácil se atualizar para os novos desafios da educação!!

Compartilhe:

9 thoughts on “Sala de aula invertida: Uma possibilidade de aplicação na prática

  1. Achei interessante o Google Sala de Aula. No entanto, fiquei em dúvida se a Sala de Aula Invertida refere-se apena a tecnologia. Pelo que trabalhei em algumas IES com EAD, o método da Sala de Aula Invertida utiliza a tecnologia como mediadora, no entanto, o objetivo é que o aluno prepare-se para a aula antes de sua realização, a partir da disponibilização de conteúdos, e a aula seja um lugar para dúvida e interação entre alunos e professores. Seria isso ou estou enganada?
    Parabéns pelo material!

    1. Olá Carla.
      Obrigado pelo feedback.
      É isso mesmo. A sala de aula invertida é uma metodologia ativa de aprendizagem que não, necessariamente, requer o uso da tecnologia. A tecnologia neste caso é uma facilitadora do processo.
      Nas próximas postagens do blog, iremos abordar mais este tema. Se inscreva no final dá página, para receber as atualizações no seu e-mail.

  2. Acredito, como professor de TI, que o uso de ferramentas da internet em tecnologias educacionais como a sala de aula invertda é semelhante ao uso de ferramentas elétricas por um marceneiro. Facilita mas não é imprescindível. Martelo é martelo, e, se bem usado produz bons trabalhos. A metodologia flipped classroom se beneficia das ferramentas da Internet, mas ela não é 100% inclusiva. Ministro numa faculdade particular e mesmo lá há alunos com dificuldades de acesso.
    Um material impresso também pode ser bem vindo, vale o esforço do professor em motivar os alunos a trabalhar em seus próprios interesses e também podendo trabalhar em equipe. A minha instituição está nos motivando a usar esta metodologia, mas eu estou tendo dificuldades em motivar os alunos. Fui recomendado a usar, em conjunto com esta metodologia, uma outra, a metodologia dos mapas conceituais, que pode ser auxiliar nas atividades em sala, por motivar o engajamento individual e em grupo em prol de um entendimento maior do assunto.
    De qualquer forma, ainda são ideias que estou pondo gradativamente em pratica. Eu uso minha propria ferramenta de internet, um sistema de EAD (LMS – Learn Management Syatem). O qual o Google Classroom se enquadra, logo, é a história do martelo, usemos o que melhor se enquadrar pra nós e nossos alunos. Para os mapas conceituais, há o CMAP, que é gratuita e há varias experiências publicadas na Internet. É mais utilizado no exterior, e a metodologia também pode ser usada sem a TI, por meio do uso de atividades em papel.
    Vale buscar a excelência na educação. Somos profissionais de educação e quem é realmente sabe que não é só o dinheiro que nos motiva. Temos i orgulho de fazer parte de um grupo que sempre rema sozinho, em prol de uma grande embarcação que a todos beneficia. Vamos nessa!!

    1. Olá Cleber.
      Com certeza. As dificuldades são imensas e cada um vai descobrindo com a sua prática quais as melhores ferramentas e metodologias utilizar.
      Vale ressaltar que sem utilizarmos, nunca saberemos se darão certo ou errado. A busca é constante e de acordo com as nossas realidades.
      Obrigado pela contribuição.

  3. os precursores da metodologia(Bergman& Sans) começaram gravando as suas aulas em um computador, e postavam no site. A pergunta que eles faziam era “o que é melhor para o aprendizado dos nossos alunos?”A motivação era oferecer meios para que alunos com diferentes níveis e ritmos de aprendizagem pudessem preparar os conteúdos e na sala de aula invertida esclarecer dúvidas e os professores dedicarem mais tempo aos que tinham mais dificuldades.Assim creio que a tecnologia é uma ferramenta ,mas não o elemento principal da metodologia.

Deixe uma resposta